big_dove
Apresentação do Projeto

A infeção pelo vírus da Hepatite C constitui um grave problema de saúde pública. Estima-se que perto de 9 milhões de pessoas na Europa estejam infetadas com o VHC(1), sendo que em Portugal a infeção afeta 1-1,5% da população(2).

Esta é uma infeção silenciosa por várias décadas. No entanto, não tratada, pode levar a complicações graves como cirrose, descompensação e falência hepática, e carcinoma hepatocelular que podem significar a necessidade de um transplante hepático ou a morte.

O impacto social, clinico e económico da HCC não tratada é, assim, crescente e correlacionado com a evolução da doença. Todos os anos são necessários 50 transplantes hepáticos relacionados com infeção por VHC(3) sendo que momento, os custos da infeção em Portugal estimam-se em ~70.9M€/ano(4).

As boas notícias são que, ao contrário de outras doenças infeciosas, a infeção cura da infeção pelo vírus da Hepatite C é possível com a consequente redução dos riscos da progressão da doença e mortalidade associada(5)(6)(7). A aspiração do tratamento no contexto real deve ser ultrapassar as barreiras para aumentar as hipóteses de cura de mais doentes. O objetivo tem que ser desde logo aumentar o número de doentes que, sendo diagnosticados, são considerados elegíveis para tratamento, que de facto começam e terminam.

Mas como atingir este objetivo no âmbito das políticas e necessidades de Saúde Pública atuais?

É neste contexto que o Instituto de Ciências da Saúde da Universidade Católica Portuguesa, em parceria com a Gilead Sciences, organizou este Think Tank tendo em vista realizar uma análise profunda da evidência e conhecimento inerentes à gestão da hepatite C e definir um consenso estratégico nacional para a gestão integrada multidisciplinar da hepatite C em Portugal.